Blog do Lininho  
Rapidinhas  
  • Segunda-feira, 15/10/2012 - 16h00
    AGUARDE... Logo você verá aqui as rapidinhas do blog do lininho..
Compartilhe
 
 

Que as portas que levam à felicidade se abram para nós todos os dias.

 
 
 
 
  Terça-feira, 30/8/2016 - 15h40
Realizar projetos sem critério
A equipe gestora deve avaliar se as propostas atendem a comunidade e contribuem para melhores condições de aprendizagem
Foto:  

Por causa das comemorações das festas juninas no meio do ano, você, gestor, é orientado pela rede de ensino a desenvolver um projeto institucional sobre o assunto. Da mesma forma, também é possível que surja a recomendação de trabalhar o folclore, a cultura indígena ou o meio ambiente. São tantos fatos históricos, datas ou mesmo pautas em moda na mídia para tratar nos trabalhos que é bem provável emendar um projeto no outro e deixar o planejamento de atividades curriculares em segundo plano.

Desenvolver um projeto institucional é uma maneira de atender às necessidades da comunidade escolar por meio de um conjunto de ações de caráter pedagógico, social, científico ou cultural. Por exemplo, estimular a formação de um público leitor, combater a discriminação racial ou promover um ambiente inclusivo para pessoas com deficiência.

Entretanto, ao executá-lo, é fundamental considerar a pertinência do projeto político-pedagógico (PPP) e avaliar se ele é, de fato, institucional e envolve alunos de diferentes turmas, professores, gestores, funcionários e familiares. "Sempre que possível, é indicado ampliar o debate em questão, analisando como ele ocorre não só na escola mas também na sociedade", avalia Nora Krawczyk, coordenadora do Grupo de Políticas Públicas e Educação da Universidade Estadual de Campinas (GPPE/Unicamp).

NOVA ESCOLA.COM

  Terça-feira, 30/8/2016 - 15h32
Agora você pode jogar Paciência direto do Google
Foto:  

São Paulo – Se você era usuário de Windows nos anos 2000, certamente já jogou o jogo de cartas chamado Paciência. Agora, o Google levou essa experência para o seu buscador online. Ou seja, você pode jogá-lo no computador sem precisar instalar nenhum software. 

Para acessar o game, você precisa pesquisar pelo nome do Paciência em inglês, que é Solitaire. Logo abaixo da barra de pesquisa o jogo já aparece para que você se entretenha por alguns minutos.

Publicidade

Outro game que o Google colocou em seu buscador neste mês foi o Jogo da Velha. Você pode competir contra um oponente virtual quando pesquisa "Tic Tac Toe" no site.

Nem todos os usuários têm acesso aos novos games que funcionam diretamente do Google. Nos testes de EXAME.com, Jogo da Velha funcionou em computadores e celulares, enquanto o Paciência só funcionou alguns em computadores.

Vale notar que a Microsoft colocou o Paciência no Windows por um único motivo: ensinar às pessoas o recurso de clicar e arrastar do sistema.

  Terça-feira, 23/8/2016 - 11h18
Os grupos de WhatsApp e a escola
Alunos, professores, pais e gestores precisam refletir sobre o uso das redes sociais a favor do aprendizado e da melhoria das relações
Foto:  

Hoje em dia, é muito difícil alguém ter um telefone celular e não acessar aplicativos como o WhatsApp. Por meio dele, são criados grupos com diversos objetivos, sempre com a intenção de fortalecer a comunicação entre os usuários. Algumas conversas têm finalidades escolares. Pode-se, por exemplo, avisar sobre lições de casa e tirar dúvidas com os colegas. Outras servem apenas para entreter e incluem trocas de vídeos, fotos e piadas. Infelizmente, também há conversas usadas para denegrir, caluniar, fazer fofoca e difamar colegas, professores e gestores.

Muitos alunos que estão nos anos finais do Ensino Fundamental já possuem celulares, e a maioria está inserida em pelo menos um tipo de rede social. Essas interações geram, portanto, implicações para a família e para a escola. Os pais precisam ficar atentos ao conteúdo que circula nos celulares dos filhos, fiscalizar e controlar o uso dos aparelhos. Entretanto, o mais importante é manter sempre um diálogo sobre as questões éticas que envolvem a participação nas redes. O que o jovem deve fazer se receber uma mensagem que expõe uma pessoa? Como agir ao ler um texto com conteúdo preconceituoso? Quais as consequências de participar de uma conversa que envolva cyberbullying?

É essencial lembrar que crianças e jovens aprendem com modelos. Então, os pais têm de se questionar sobre o uso que eles próprios fazem do celular e a qualidade de suas participações em aplicativos como o WhatsApp. Pensando no ambiente escolar, muitos criam grupos de conversa com o objetivo de fortalecer o vínculo entre as famílias e compartilhar informações sobre assuntos pertinentes à vida de crianças que estão na mesma classe. Porém, alguns acabam por trazer prejuízos enormes para os próprios alunos e para a escola. Isso ocorre, por exemplo, quando a interação é usada para queixarem-se sobre a conduta de professores ou estudantes.

Há pais que, diante de um problema, em vez de buscar um canal direto de comunicação com a escola, expõem suas preocupações em mensagens de texto de forma ofensiva e desrespeitosa. Já soube de grupos de familiares que se mobilizaram para pedir a expulsão de alunos ou mesmo o afastamento de docentes. Também não é raro presenciarmos responsáveis que expõem os próprios filhos e outras crianças com imagens ou palavreado inadequado, julgamentos e estigmatizações desnecessárias. Problemas pequenos acabam ganhando uma dimensão maior, o que só dificulta a resolução. Assim, surgem indisposições e até inimizades entre os pais dos alunos.

À escola, cabe orientar as famílias a fazer um uso potente desse recurso tecnológico, por exemplo, compartilhando assuntos de interesse geral (sobre saúde, programação cultural etc.), e lembrá-las de que, quando tiverem questões sobre a vida escolar dos filhos, o melhor canal é a comunicação direta com a gestão. Afinal, alguém já viu um problema delicado ser resolvido pelas redes sociais? Também é interessante promover reflexões com os estudantes sobre o uso consciente dessas ferramentas e utilizá-las em sala de aula de maneira positiva, potencializando a construção de boas relações e o aprendizado.

GESTÃO ESCOLAR.COM

  Sexta-feira, 19/8/2016 - 16h34
Faculdade Maurício de Nassau de Maceió é credenciada como Centro Universitário
Agora é UNINASSAU
Foto:  

O Ser Educacional S.A., um dos maiores grupos privados de educação do Brasil e líder nas regiões Nordeste e Norte, informa que o Ministério da Educação (MEC) credenciou a Faculdade Maurício de Nassau de Maceió, localizada em Alagoas, como Centro Universitário. A informação foi publicada no Diário Oficial da União de hoje.

"O credenciamento da unidade como Centro Universitário amplia o reconhecimento das instituições do Grupo na sociedade regional, nacional e no mercado de trabalho. Além disso, a licença dá autonomia para abertura de novos cursos sem necessidade de aprovação prévia”, conta Jânyo Diniz, Presidente do Ser Educacional. O credenciamento ainda levará a marca UNINASSAU, forte e consolidada em Recife-PE pela sua qualidade de ensino e infraestrutura e localização privilegiada, para Maceió.

Tal mudança coincide com os investimentos recentes do Grupo na cidade, que inaugurou recentemente um novo edifício com infraestrutura de ponta e modernas salas de aulas e laboratórios, no bairro do Farol. “Agora com status de Centro Universitário e uma unidade totalmente renovada, a UNINASSAU pretende ser uma marca ainda mais forte neste estado, que acreditamos ter muito potencial de crescimento", completa Diniz.

O protocolo de Credenciamento do Centro Universitário de Maceió foi efetuado no e-MEC em 30 de março de 2013, tendo sua aprovação ocorrida no Parecer nº 200/2016 da Câmara de Educação Superior (CES), do Conselho Nacional de Educação (CNE) na sessão de julgamento realizada em 28 de janeiro de 2016. A publicação da Portaria de Credenciamento, no Diário Oficial da União, foi efetuada pelo MEC em 18 de agosto de 2016.

 

Sobre o Grupo Ser Educacional

Fundado em 2003 e com sede no Recife, o Grupo Ser Educacional (BM&FBOVESPA SEER3, Bloomberg SEER3:BZ e Reuters SEER3.SA) é um dos maiores grupos privados de educação do Brasil e líder nas regiões Nordeste e Norte em alunos matriculados. A Companhia oferece cursos de graduação, pós-graduação, técnicos e ensino a distância e está presente em 12 estados, em uma base consolidada de mais de 152 mil alunos. A Companhia opera sob as marcas Faculdades Maurício de Nassau, UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau, Faculdades Joaquim Nabuco, Escolas Técnicas Joaquim Nabuco e Maurício de Nassau, FIT - Faculdades Integradas dos Tapajós, UNG (Universidade Guarulhos) e UNAMA (Universidade da Amazônia), por meio das quais oferece mais de 990 cursos.

 

ASCOM/NASSAU

 

  Sexta-feira, 19/8/2016 - 09h50
Candidatos às prefeituras podem registrar compromisso com a Primeira Infância
Foto:  

Candidatos às prefeituras já podem registrar e tornar público o compromisso de sua candidatura com a “Agenda prioritária para a Primeira Infância: qualidade e equidade nas políticas públicas”. Lançada em julho deste ano, a Agenda é composta por ações estratégicas, que se traduzem em iniciativas que devem ser assumidas pelos candidatos. Cada ação, por sua vez, possui um conjunto de sugestões de atividades e de materiais de referência.

As sugestões de atividade indicam possíveis caminhos para a execução das ações da Agenda. Além disso, são apresentados materiais de referência com conteúdos que podem subsidiar o trabalho da gestão municipal na implementação de cada ação estratégica.

Para registrar o compromisso da candidatura com a implementação das sete ações estratégicas da Agenda no município, é necessário preencher o formulário disponível na página Compromissos de Governo. As adesões à Agenda prioritária para a Primeira Infância: qualidade e equidade nas políticas públicas serão públicas e divulgadas.

Conheça as sugestões de atividades e os materiais de referência aqui.

 

UNDIME/AL

  Quinta-feira, 18/8/2016 - 17h40
Pessoas que sofreram infarto podem ter uma alimentação feliz

Desde os tempos remotos, a alimentação uniu os seres humanos em festividades e eventos. Historicamente, a alimentação incentivou o homem a manter-se em grupos na busca de alimentos e na segurança dos seus estoques.

Reunir-se ao redor de uma mesa farta foi e continua sendo motivo de alegria e comemoração. Com o aumento da expectativa de vida e a grande mudança de estilo de vida, o homem moderno tem um grande desafio: manter o prazer à mesa mesmo após sobreviver ao evento de obstrução do fluxo de sangue nas artérias coronárias: o infarto agudo do miocárdio. Como seguir uma dieta, sem abandonar o prazer e a alegria de comer? O primeiro passo é se abrir a mente a ingestão de novos sabores, com mais cores e texturas.

A horta de especiarias é um bom começo para descobrir o paladar e aromas de temperos naturais que realçam o sabor sem exigir a adição de sal e temperos prontos.

Utilizar azeite virgem, vinagre balsâmico, limão, molho de tomate fresco nas preparações podem surpreender os mais exigentes, mas reforçar o alho e a cebola e usar os alimentos grelhados aos invés de refogados também pode recriar o sabor dos vegetais, como cenoura, abobrinha e berinjela.

Experimentar ingredientes nas receitas tradicionais de família pode ser surpreendente, como por exemplo, substituir o creme de leite por maionese nos risotos ou usar leite desnatado ou leite condensado com teor reduzido de gorduras no preparo de sobremesas. Incluir outros alimentos que não faziam parte da rotina alimentar também pode ser saboroso e saudável. Uma alimentação benéfica ao coração, inclui a inserção de proteína texturizada de soja junto a carne bovina moída no preparo de recheio de tortas e pastéis assados. Frutas e castanhas sempre são bem-vindas, trazendo doçura e intensidade  no preparo dos pratos salgados ou sobremesas. Incluir peixes na dieta é uma recomendação universal, e adicionar castanhas como amêndoas ou mesmo castanha de caju tornará o assado mais atraente e festivo.

Enfim, superar o infarto significa dar uma nova chance de encarar a vida, rever condutas e hábitos, mas sem perder o prazer de comer. E claro, a lista de compras deverá contemplar todas essas mudanças positivas.

 

*Isabela Cardoso Pimentel Mota é nutricionista e diretora científica do Departamento de Nutrição da SOCESP (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo).

  Quarta-feira, 17/8/2016 - 13h00
Novo app de chat em vídeo do Google mira Facetime da Apple
Foto:  

O Google acertou em cheio com os e-mails quando lançou o Gmail em 2004. Hoje ele é a primeira forma de correspondência eletrônica nos EUA.

Mas como o e-mail tradicional está perdendo espaço entre uma fatia cada vez maior da população, o Google tem tido dificuldades para manter a relevância de suas ferramentas de mensagens ou apresentar novos lançamentos que repercutam entre os usuários mais jovens.

Agora, o Google está tentando outra vez com um novo aplicativo de videoconferência chamado Duo. Ele funciona nos aparelhos móveis com Android, o sistema operacional do Google, e com iOS, da Apple.

O aplicativo funciona com Wi-Fi e redes de telefonia celular, troca automaticamente entre os distintos tipos e velocidades conexão e ajusta a qualidade de vídeo.

O Duo utiliza também os números de telefone, em vez de uma conta do Google ou endereço de Gmail, o que torna mais fácil ligar para amigos, familiares e outras pessoas que já estão na lista de contatos do smartphone.

 

Exame.com

O aplicativo atual de videoconferência e mensagens, Hangouts, requer uma conta do Google, o que limitou sua adoção, especialmente nos mercados emergentes.

O WhatsApp e o Messenger, do Facebook, o Skype -- que agora pertence à Microsoft -- e o FaceTime, da Apple, utilizaram os números telefônicos para crescer mais rapidamente.

Um conjunto confuso de opções de comunicação representou um obstáculo para o Google. A empresa tem dois serviços de e-mail -- o Gmail, que é o maior serviço de e-mail dos EUA com base no número de visitantes únicos, segundo a ComScore, e o Inbox; três produtos de mensagens de texto, o Hangouts, o Messenger e o Allo, que será apresentado em breve; e agora dois serviços de bate-papo com vídeo, o Duo e o Hangouts (que oferece mensagens de texto e videoconferências).

Esta abordagem difusa, e o fato de o Google ter entrado tarde nesse jogo, está se tornando mais dispendioso para a divisão da Alphabet à medida que a troca de mensagens deixa de ser uma forma simples de se comunicar rapidamente e se torna uma das grandes plataformas de tecnologia do futuro, com comércio virtual, publicidade e novos serviços executados com inteligência artificial.

Há 18 meses, o CEO do Google, Sundar Pichai, encarregou Nick Fox, um veterano com 13 anos na empresa, de dar um jeito na variedade de produtos. Pouco depois, sua nova equipe elaborou uma estratégia e começou a desenvolver o Duo e o Allo.

Então, como Fox vai fazer para não ficar para trás? Sua primeira tarefa é arrumar o excesso de variedades de serviços de comunicações do Google.

O Hangouts será um serviço para o espaço de trabalho que oferecerá videoconferências em grupo, principalmente por computadores e laptops de escritório, disse Fox. Ele estará mais integrado ao software de trabalho do Google, como Docs, Sheets e Slides, que ficarão mais fácil de compartilhar.

A segunda tática: levar para os novos serviços o que, segundo Fox, é uma tecnologia melhor a fim de alcançar os rivais.

O Duo realiza constantemente “estimativas de banda larga” para entender quanto vídeo pode ser transmitido. Se o Wi-Fi enfraquecer, o aplicativo passa para a rede de telefonia do celular. Se o sinal do celular chegar a cair para 2G, o Duo corta automaticamente o vídeo e mantém o áudio.

Talvez uma tecnologia melhor não baste para não ficar para trás, disse Ankit Jain, ex-funcionário do Google e executivo da SimilarWeb, que mede a utilização de sites e aplicativos móveis.

O WhatsApp e o Snapchat ofereceram algo o suficientemente útil para convencer muitas pessoas a trocar o serviço de comunicação que usavam, onde já estavam todos os seus amigos.

“Vale a pena tentar de novo, mas ter uma tecnologia melhor não pode ser a única coisa”, disse Jain.

  Quarta-feira, 17/8/2016 - 10h13
Sente enjoo no carro? O corpo acha que está sendo envenenado

É bem provável que você conheça alguém que não consegue entrar na estrada sem passar mal (aqueles saquinhos não estão no ônibus à toa).

Agora, depois de incontáveis paradas no acostamento, a ciência finalmente descobriu o motivo disso tudo: para seu estômago, andar de carro pode ser bem parecido com ser envenenado.

Publicidade

Do ponto de vista evolutivo, faz pouco tempo que a humanidade trocou os calcanhares pelos motores e nossa biologia ainda não é completamente adaptada para essa nova realidade.

A verdade é que andar de carro confunde sua cabeça, literalmente: o cérebro recebe sinais de que está se mexendo e que está parado, ao mesmo tempo.

O ouvido interno é responsável por manter o equilíbrio do corpo. Para isso, ele conta com líquidos que se movimentam de acordo com seu movimento - é por isso que, mesmo vendado, você sabe se está deitado ou de pé, reto ou inclinado.

O movimento do carro faz com que os líquidos do ouvido interno se desloquem, e, com isso, o corpo sabe que não pode estar parado.

Mas os seus olhos e seus músculos dizem outra coisa. Especialmente para quem está sentado no banco de trás, tudo que os olhos veem é o interior do carro, sem movimento algum. Suas pernas também não se mexem. Então por que tem um rebuliço no ouvido dizendo que você está a 70 km/h?

O juíz responsável por dar o veredito sobre o seu movimento é uma parte do cérebro chamada tálamo, como explica o neurocientista Dean Burnett à rádio NPR.

E para responder à pergunta "como estou me mexendo sem me mexer", a resposta que o tálamo encontra é que você está doidão.

O cérebro lê a confusão dos sentidos como sintoma de um possível envenenamento. Em termos evolutivos, as causas mais prováveis de desencontro dos sentidos, ao menos na natureza, são neurotoxinas.

É por isso que o estômago acaba envolvido em um problema de equilíbrio e movimento. Se existe uma chance de que o corpo tenha sido contaminado, a reação de emergência do cérebro é forçar o corpo a botar para fora o veneno e diminuir os danos.

Para Burnett, olhar pela janela ajuda a equilibrar os estímulos contrários que o corpo recebe, enquanto focar em um pedaço estático de papel (ou seja, ler) aumenta a discordância de opiniões entre sua visão e seu ouvido interno - e faz seu cérebro neurótico sentir mais vontade de "desintoxicar".

Exame.com

  Quarta-feira, 17/8/2016 - 09h58
Nova Política de Promoção da Saúde é apresentada a municípios prioritários

Técnicos de 27 municípios alagoanos prioritários participaram,  no auditório da Gerência de Atenção Primária, em Maceió, de uma oficina promovida pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Durante a ação, foi apresentada a portaria 2.446, que redefiniu a Política de Promoção da Saúde.

Também na oficina foi explicado aos coordenadores municipais que a Promoção da Saúde não foi extinta, mas incorporada a uma Supervisão da Gerência de Atenção Primária. “Aproveitamos o momento para falar das ações que serão realizadas e mostrar as diretrizes da portaria 2.446, que redefiniu a Política de Promoção da Saúde” frisou Malu Albuquerque, supervisora de Educação e Promoção da Saúde.

Segundo Malu Albuquerque, a nova Política de Promoção da Saúde tem um novo olhar para a integralização, empoderamento da população e mudanças de hábitos. “São com estas vertentes que estamos trabalhando a Supervisão de Atenção à Saúde e prestando assistência técnica aos municípios”, explicou Malu Albuquerque.

Entre os municípios que participaram da oficina estão Cacimbinhas, Jequiá da Praia, São José da Tapera, Palmeira dos Índios, União dos Palmares, Branquinha, Campo Alegre, Messias, Igreja Nova, Murici, Igaci, Maceió, Paulo Jacinto, Chã Preta, Pilar, Belo Monte, Pindoba, Paripueira, Flexeiras, Matriz do Camaragibe, Marechal Deodoro e Traipu.

Promoção da Saúde – A Promoção da Saúde consiste em políticas, planos e programas de saúde pública com ações voltadas para evitar que as pessoas se exponham a fatores condicionantes e determinantes de doenças. Além disso, ela também incentiva condutas adequadas à melhoria da qualidade de vida, distinguindo-se da Atenção Primária ou ações da medicina preventiva, que identificam precocemente o dano.

 

ASCOM/AMA

  Sexta-feira, 12/8/2016 - 09h51
Candidatos e candidatas às Prefeituras podem registrar o compromisso de suas candidaturas com a Primeira Infância
Foto:  

A partir de agora, candidatos e candidatas às Prefeituras Municipais podem registrar seu compromisso com a Primeira Infância. Grupo formado por representantes de institutos, fundações, entidades, movimentos e por especialistas das áreas de educação, saúde e assistência social criou a Agenda prioritária para a Primeira Infância: qualidade e equidade nas políticas públicas. O trabalho é fruto de uma reflexão coletiva e está estruturado em sete ações estratégicas, que se subdividem em um conjunto de sugestões de atividades, além de pressupostos orientadores da formulação e implementação de políticas públicas para a Primeira Infância.

A Agenda está disponível em agendaprimeirainfancia.org.br. A página organiza as informações de maneira simples, didática e de fácil navegação. As ações estratégicas representam o coração da Agenda e se traduzem em iniciativas práticas. As sugestões de atividade indicam possíveis caminhos para a execução das ações da Agenda. Além disso, são apresentados materiais de referência com conteúdos que podem subsidiar o trabalho da gestão municipal na implementação de cada ação estratégica.

Para registrar o compromisso da candidatura com a implementação das sete ações estratégicas da Agenda no município, é necessário preencher o formulário disponível na página Compromissos de Governo. As adesões à Agenda prioritária para a Primeira Infância: qualidade e equidade nas políticas públicas serão públicas e divulgadas.

Divulgue, comente e compartilhe essa informação! Vamos envolver o maior número de candidatos(as).

Para conhecer os parceiros da iniciativa, clique aqui.

 
Foto:
Clique na imagem para ampliar
 
 

  Você é a favor do uso do celular na escola?